Mariar um Mar de Poesias

Data(s) e Horário(s): 06/03 às 19:00h, 13/03 às 19:00h, 20/03 às 19:00h, 27/03 às 19:00h

Local: Rua Gamboa de Cima 03, Centro (ao lado do Quartel dos Aflitos)

Preço: 20,00 (inteira) e 10,00(meia entrada)

Mais Informações

A atriz e pesquisadora interiorana Natalyne Santos e a atriz, também cantora e percussionista Emillie Lapa, unem suas trajetórias - que perpassam desde o canto, a relação com os instrumentos percussivos, além da arte-educação e a vivencia afrocultural - num trabalho identitárioancestral, intitulado “Mariar-Um Mar de Poesias”.

 

O espetáculo poético-musicado traz em sua essência histórias que se passam no manguezal, vivenciadas por mulheres negras, marisqueiras que tem o mangue como meio de subsistência, trabalho e lazer. “O casamento da musica com o teatro e da poesia e a força da ancestralidade negra, é traduzido na história oral” - explica Natalyne, que completa: “Além de entreter, temos uma grande responsabilidade sócio/educacional/ambiental, alcançando pessoas de todas as idades, com uma dinâmica única e diversidade rítmica, que inclui ritmos afro-brasileiros”.

 

Emillie Lapa é multi-instrumentista, atriz, cantora, compositora e arte-educadora, dominando instrumentos como cavaquinho e baixo, e encontrando na percussão sua grande paixão pela cultura negra. A artista soteropolitana é também idealizadora do “Grupo de Mulheres Negras com Pandeiro na Mão” (2019) fundado a partir da Oficina de Pandeiro o Ritmo da Memória desde 2007. Atua ainda como diretora musical e instrumentistaperformer de espetáculos teatrais como “Somos todas Clandestinas” “Gusmão O Anjo Negro e sua Legião” e “Contos de Azeviche”.

 

Natalyne Santos nasceu na cidade de São Francisco do Conde. Atriz, pesquisadora e arte-educadora licenciada pela Escola de Teatro da Ufba, atua na Comunidade de São Bento das Lages, localizado no Recôncavo de São Francisco do Conde, como mobilizadora e agente cultural, influenciada pelo seu pai, Francisco Paulo dos Santos, mestre de samba de roda. Fundadora e diretora da CNTAP- Companhia Negra de Teatro Infanto-juvenil A Ponte.

 

Classificação: Livre

 

Ficha Técnica

Texto, música e atuação: Natalyne Santos e Emillie Lapa

Figurinista: Guilherme Hunder

Produção: Natalyne Santos

Coreógrafa: Marilza Oliveira

Imagens: Isabel Vasconcelos

Apoio Financeiro

Desenvolvido Por:

WebD2 Desenvolvimento Web